Cícero Cattani
05 dez 2017

Seria Osmar um novo Brancaleone?

Quem desdenha quer comprar: Ditado popular empregado para dizer que muito desprezo pode ser sinal de desejo escondido. Assim também é na política. Osmar Dias, que tenta pela terceira vez o governo do Estado, tem se aproveitado de toda a oportunidade para negar que tenha acertado uma aliança com Roberto Requião, no encontro de sexta-feira recente.

Osmar Dias tem se prevalecido de amigos blogueiros para desmentir o que de fato foi conversado: Requião não iria ao escritório do pré-candidato para jogar conversa fiada. Logo ele que já passou por algo parecido na eleição de 2006, quando esteve na chácara do então senador para acertar detalhes do apoio dele à candidatura ao governo.

Batido martelo, Requião foi à convenção do PMDB anunciar que Osmar Dias desistira de concorrer e passaria a apoia-lo. Ainda no mesmo domingo, Osmar volta atrás e surpreende correligionários e o próprio Requião com a revelação de que era de fato candidato ao governo. Perdeu para Requião.

“Osmar tentou restringir as coisas ao espaço de um simples diálogo, como os que tem tido com representantes de praticamente todos os outros partidos. Suas explicações, contudo, foram insuficientes, dado o impacto causado pelo anúncio enfático feito por Requião de que ambos estavam juntando forças para disputar as eleições de 2018”, registra o Celso Nascimento, no Contraponto.

Tal constatação confirma que Osmar Dias ainda  não repercute e que se comunica mal.

Desdenhar o apoio do PMDB de Requião é muita pretensão de quem ainda não sabe sequer dizer a que veio nesta terceira tentativa de chegar ao Iguaçu. E com que força política vai à batalha do voto.

Seria ele um novo Brancaleone e seu incrível exercito?

No filme italiano de 1966,  do gênero comédia, Brancaleone é um pobre e atrapalhado, mas bem-intencionado. Em sua jornada para tomar posse do feudo de Aurocastro, objetivo do qual (tal como Dom Quixote) é desviado em diversas oportunidades, muitas aventuras bizarras e surpresas acontecem, sempre acompanhado de sua fiel “Armata” – o bando de maltrapilhos  que o seguem com a promessa de muitas riquezas no futuro feudo de Brancaleone

Comentários

  • profa Eliza | 05 dez 2017

    O osmar dias nunca foi de tomar decisões, é um incompetente carregado pelo irmão Alvaro , hoje um dos maiores críticos do beto richa ;acho que não vota nem no mano pra presidente ; será que tambem tem paixão pelo betinho ?

  • penitenciário | 05 dez 2017

    Não sei se tem paixão , mas parece que está procurando espaço na quadrilha, guiado pelo robanellis !

Faça um Comentário