Cícero Cattani
01 set 2017

Rossoni recebia propina dentro da Assembleia

<<<“Quando ele (Rossoni) me via, me chamava no canto e falava ‘E aí, Eduardo, tem coisa boa para mim hoje?’, esfregando as mãos”/

Por Katia Brembatti/Gazeta do Povo

A delação premiada do dono da Construtora Valor, Eduardo Lopes de Souza, afirma que o atual secretário-chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni (PSDB), recebeu dinheiro dentro Assembleia Legislativa do Paraná, quando era deputado estadual, como forma de compensação por contratos fraudulentos de construção de escolas. As informações estão nos documentos da Operação Quadro Negro, aos quais G1 e RPC tiveram acesso. De acordo com o empresário, Rossoni recebeu cerca de R$ 460 mil. A delação ainda precisa ser homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), porque as denúncias atingem pessoas com foro privilegiado, como o próprio Rossoni, que é deputado federal licenciado.

“Quando ele me via, me chamava no canto e falava ‘E aí, Eduardo, tem coisa boa para mim hoje?’, esfregando as mãos”, disse Souza, no processo de colaboração com o Ministério Público Federal (MPF). Em depoimento, o empresário disse que foi Rossoni quem o apresentou ao diretor da Superintendência de Desenvolvimento da Educação (Sude) , Maurício Fanini, responsável por fiscalizar o andamento das construções contratadas junto à Valor. Souza também destacou que as primeiras licitações vencidas pela Valor foram em 2011, em Bituruna, no Sul do Paraná. A cidade é o reduto eleitoral de Rossoni.

Segundo o delator, os primeiros contatos já teriam estabelecido que 10% de todas as licitações deveriam ser repassados ao então deputado. Ainda de acordo com Souza, quem intermediava a entrega do dinheiro era um assessor de Rossoni. O empresário declarou também que os pagamentos da propina eram feitos dentro da Assembleia Legislativa. Ele disse que subia até Presidência e entregava o dinheiro, que era contado pelo servidor, quase todas as semanas.

“Quando ele [Rossoni] me via, me chamava no canto e falava ‘E aí, Eduardo, tem coisa boa para mim hoje?’, esfregando as mãos”

Eduardo Lopes de Souza é um dos denunciados no principal processo derivado da Quadro Negro e estava em prisão domiciliar até o mês passado, quando foi liberado pela Justiça para se mudar para Cuiabá, no Mato Grosso.

Outro lado

Procurado pela Gazeta do Povo, Rossoni informou, pela assessoria de imprensa, que não se pronunciaria sobre o caso. À RPC disse que renuncia ao cargo caso algo seja provado contra ele. Reiteradas vezes, o secretário do governo Richa negou envolvimento no esquema de fraude.

Comentários

  • Rock | 01 set 2017

    Rossoni depois de dezenas de anos e várias acusações dos mais variados tipos de desmandos parece que agora não tem para onde escapar.

  • Edson Munetto | 02 set 2017

    Esse já é figura manjada. Ele pensa que consegue enganar a todos durante todo tempo. Mas, não é assim…

  • profa Eliza | 02 set 2017

    Que boa a assembléia , traiano, rossoni plauto, filhote de durval , filhote de francisquini e um bando de ratos ! que nojo , acorda estado ! Em tempo e a cida , a filhinha e o maridão rcardo barros ; ou esse só rouba em brasília, com o temer !

  • Aruman | 02 set 2017

    Pior que a chance de isso não dar em nada do jeito que a justiça anda é grande!

  • Marcos da Silva | 02 set 2017

    Chamar esta cambada de filhos da Puta é pouco, então vou multiplicar fdp X 1.000=

  • Marcos da Silva | 02 set 2017

    Chamar esta cambada de filhos da Puta é pouco, então vou multiplicar por X 1.000=

  • Marcos | 02 set 2017

    Essa turma de bandidos deve ser punida com rigor pela justiça esperamos isso esse governador e uma vergonha para o povo do Paraná.

  • MauricioSc | 07 set 2017

    De paladino da moralidade, a ladrão……..demorou mas vai cair, safado!

Faça um Comentário