Cícero Cattani
11 jan 2018

Rocha Loures, um paranaense entra na história


Rocha Loures foi vice na chapa de Osmar Dias (na foto também com Gleisi), em 2010,  por imposição de Michel Temer.


É certo que nenhum outro político paranaense tenha tido tanto destaque nas mídias do que ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures. Até no recente humorístico Zorra, da Globo, estava ele e sua mala de dinheiro na hilária corridinha até um táxi depois de receber a propina da JBS –  que seria destinada a Michel Temer.

Ainda agora, o colunista mais acatado da Folha de S. Paulo, Janio de Freitas abre um parêntese em sua análise sobre o envolvimento de Temer no caso do porto de Santos: “dos R$ 500 mil que proviriam de Joesley Batista, o “assessor de total confiança” de Temer tratou de tirar da mala a sua parte, de R$ 35 mil. Correspondente à comissão ou remuneração de 7% por serviço prestado. Logo, os restantes R$ 465 mil são outra parte com outro dono. Quem é? Fácil presumir. Mas não consta que tenha sido questionado até agora, passados nove meses da estreia cinematográfica de Loures”

Das 50 perguntas da Polícia Federal  feitas ao presidente, 36 delas envolvem o nome de Rocha Loures:  “Sim, aquele assessor de Temer filmado pela PF ao receber uma mala com R$ 500 mil. Gravações telefônicas ligam Loures, empresas portuárias, o teor do decreto e a Presidência”.

O próprio Rocha Loures, na maior desfaçatez, ao depor na PF, negou que tenha qualquer relação de amizade com Temer, quando todo o mundo sabe da intimidade dele com supremo mandatário. A candidatura dele a  vice de Osmar Dias, em 2010, foi um imposição do então presidente nacional do PMDB.

Um paranaense com lugar garantido pelo menos no folclore político brasileiro.

Comentários

  • penitenciário | 12 jan 2018

    Que nojo dele, do temer e do osmar !

Faça um Comentário