Cícero Cattani
20 fev 2018

Restará a Ratinho liberar base para pedir voto a Richa

Tanta é a certeza da renúncia de Beto Richa, ao governo para concorrer ao Senado, que o irmão Pepe e filho Marcello intensificaram a campanha à Câmara e à Assembleia. Recursos financeiros e dobradinhas de peso estão acertados: Ademar Traiano carrega o Pepe, enquanto Valdir Rossoni cuida de eleger o rebento.

Os dois  se elegem, nas contas de um veterano deputado estadual.  Pepe com alguma dificuldade, por não ter costurado melhor os apoios, jogando suas fichas nos prefeitos. Marcello elege-se com boa votação, principalmente pelo trabalho de dona Fernanda.

Beto Richa, por óbvio, entrega o poder à Cida Borghetti,  e seja o que Deus quiser: Ratinho Jr vai fazer uma campanha solo, sem poder se queixar de ter sido traído pelo governador a quem serviu como secretário. Mas terá suas compensações –  a ver em abril. Ninguém sairá de embornal vazio.

A base de Ratinho Jr ficará liberada para pedir votos para Beto Richa. O que mais importa é o Senado.

Enquanto outubro não chega, Richa fará ar de ver paisagem e empurrará com a barriga a revelação de sua preferência – se é que o eleitor vai quer votar em candidato apoiado por ele.

Exigir a permanência de Richa, agora,  seria pretender de mais.

Faça um Comentário