Cícero Cattani
01 fev 2018

Quadro Negro têm potencial para mudar eleição

Por Rogerio Galindo, Caixa Zero

  A Operação Quadro Negro pode ser bem mais do que uma investigação criminal: ao ouvir secretários de estado e assessores do governador às vésperas da eleição, a operação da Polícia Federal tem potencial para mudar profundamente o quadro eleitoral no Paraná.

Nesta quinta-feira, foram ouvidos três dos assessores mais próximos de Beto Richa, entre eles os homens que são considerados seus dois principais articuladores políticos. Nesta sexta, há mais depoimentos.

A Quadro Negro, para quem não acompanhou, investiga um fato concreto e gravíssimo: o governo do Paraná estava pagando empreiteiras por escolas nunca construídas. O dono da empreiteira, pego com a boca na botija, disse que fazia isso, em parte, para desviar o dinheiro das escolas para campanhas políticas. Entre elas, a do governador.

Renúncia
Beto Richa, claro, nega qualquer irregularidade. Mas desde o começo da operação, as pistas foram levando o caso cada vez para um círculo mais próximo ao governador. E é difícil saber aonde tudo isso pode chegar.

LEIA MAIS: Secretário diz que citações ao núcleo de Richa são vingança

Fato é que Beto tem uma decisão importante para tomar nos próximos dois meses: se sai ou não do governo para disputar o Senado. E, se for eleito senador, qualquer investigação contra ele segue para o Supremo Tribunal Federal, onde sabe-se que tudo anda mais lentamente. E ele mantém força política para se defender.

O fator Cida
A decisão da renúncia de Beto tem sido vista como o ponto fulcral para que se saiba como vai ser a eleição paranaense. Se ele renunciar, Cida Borghetti assume e vira candidata para valer. Seu marido, Ricardo Barros, anda pondo partidos no bolso com uma rapidez impressionante.

Cida pode ser candidata à reeleição tendo a estrutura do governo e o fundo partidário do PP na mão. Pode até mesmo inviabilizar outras candidaturas dentro do campo aliado de Beto, como a de Ratinho Jr., que torce para Beto ficar na cadeira até dezembro.

LEIA TAMBÉM: Assessores de Beto Richa prestam depoimento na PF

Ao se conhecer o teor dos depoimentos, vai ficar um pouco mais fácil entender para onde as coisas estão rumando. E isso pode clarear até mesmo o destino da eleição de outubro.

Faça um Comentário