Cícero Cattani
09 fev 2018

Quadro Negro. Afastamento da juíza beneficia réus

Quais seriam as razões de foro íntimo que levaram  a juíza Danielle Nogueira Mota Comar, da 9ª Vara Criminal de Curitiba, deixar de atuar na Quadro Negro, em fase de sentença?

Antes desse afastamento abrupto da juíza, o promotor do caso, Carlos Alberto Choinski,  havia denunciado ter sido afastado pelos superiores ao tempo em que intimava um deputado estadual e um secretário de Richa para depor. Só faltou dizer quem eram eles.

Com a decisão da juíza, cabe agora ao Tribunal de Justiça indicar quem vai dar continuidade ao escândalo das propinas apurado pela Operação Quadro Negro. Sem prazo, sem juiz, o julgamento final pode ser postergado por um tempo  que só interessa aos réus e  a quem obra por eles.

Depois de outubro, por exemplo.

Enquanto isso, a Polícia Federal prossegue com a apuração no que lhe cabe, ouvindo gente graúda do governo, para o ministro Juiz Fux, da Suprema Corte, decidir.

O prazo da PF encerra-se em agosto.

Comentários

  • prof Eliza | 11 fev 2018

    Que juizarada que não valem nada; ainda querem auxi´lio creche , escola , transporte, alimentação, vestuário , moradia , cueca, calcinha , chá , café, chocolate, motel etc ; tomem vergonha bando de vagabundos ! E o corrupto do beto dando tudo que pode ! Vão trabalhar igual aos outros servidores !

Faça um Comentário