Cícero Cattani
27 abr 2017

Greve. Professores vão lembrar massacre de 29 de abril

Para o professorado paranaense, a anunciada greve geral desta sexta tem, também, outro objetivo: “vamos realizar a memória de dois anos do massacre do Centro Cívico e defender nossos direitos diante dos golpes sobre o povo brasileiro. O ato estadual iniciará às 09h, na Praça 29 de Abril, em frente Assembleia Legislativa do Paraná e do Palácio Iguaçu”, convoca  o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão.

Precavidamente, o governador Beto Richa estará longe da praça do massacre, cumprindo agenda na região de Londrina.

O chefe da Casa Civil Valdir Rossoni afirmou nesta quinta-feira (27) que a determinação do Governo do Estado é para que haja expediente normal em todas as repartições públicas e empresas do Estado nesta sexta-feira (28), inclusive com a manutenção do horário de aulas em todas as escolas da rede estadual.

Rossoni alertou que os funcionários públicos que faltarem ao trabalho terão o dia descontado da folha de pagamento.

Rafael Greca mantém a mesma posição do Iguaçu:  respeita os protestos, que fazem parte de uma sociedade democrática como a brasileira. Mas entende que eles não podem prejudicar os serviços públicos, muitos deles essenciais para os moradores da capital. Faltas não justificadas serão descontadas do salário.

Comentários

  • Edilson Procopio da Silva | 28 abr 2017

    É o cúmulo do absurdo! Esses políticos, sem coração, acham que são os donos do país! O bom seria que o trabalhador não tivesse que fazer greve. Mas estão querendo burlar os nossos direitos!

Faça um Comentário