Cícero Cattani
04 set 2018

Preso “o príncipe da fraude”, o que engambelou Beto Richa

A polícia brasileira prendeu o italiano Luigino Fiocco, procurado pelas autoridades de Milão. Fiocco é acusado de fraudes que totalizam 200 milhões de euros. O sujeito chegou a participar de uma missão ministerial à China, para a construção de uma fábrica de helicópteros, e foi condenado na Itália a um total de 10 anos e 9 meses de prisão.

Na Itália, ele é conhecido como “o príncipe da fraude”. Aqui, foi festejado pela dupla Beto Richa e Ricardo Barros

Richa disse ao presidente da Avio, Luigino Fiocco, que o grupo irá se orgulhar por optar pelo Paraná, pois atingirá seus objetivos e terá retorno garantido. “Nosso objetivo não é só atrair empresas, mas que elas prosperem e possam ampliar seus investimentos aqui”, disse o governador.

“O acordo com a  suaempresa mais uma vez demonstra a eficiência da política de industrialização e de atração de novos investimentos para o Estado”, afirmou Richa sob o júbilo de Ricardo Barros, o intermediador de Fiocco para assentar bases no Paraná.

Com pompa e circunstância, Richa assinou , no Palácio Iguaçu, o protocolo de intenções com a Avio Internacional Group, da Suíça, para instalação de uma fábrica de aviões e helicópteros em Maringá, Noroeste do Estado. A empresa se  comprometeu investir R$ 174 milhões na nova fábrica e criar mais de mil empregos.

A Avio foi enquadrada no Paraná Competitivo, programa de incentivos do governo estadual, que, segundo a agência de notícias do governo,  já atraiu mais de R$ 20 bilhões em novos investimentos, com a criação de 136 mil empregos com carteira assinada, em todas as regiões do Estado.

Comentários

  • bs | 05 set 2018

    Na época ja era motivo de piada.
    Quem acreditaria em uma fabrica de helicóptero no Parana. kkkk

Faça um Comentário