Cícero Cattani
30 mar 2018

Osmar põe gente sua no Podemos. Agora é unir oposição

Osmar Dias não vai para o Podemos como queria o irmão Alvaro, em seu lugar mandou o prefeito de Pato Branco e seu antigo amigo e fiel aliado Augustinho Zuchi, do PDT, que presidirá o partido. Para a secretaria-geral,  o seu coordenador de campanha Celso Silva. Fórmula caseira que sela a paz e põe fim à  discórdia entre os irmãos: Alvaro queria Osmar, mas não garantia apoio exclusivo à candidatura dele ao governo.

A rendição de Alvaro deveu-se, também,  pela incerta  candidatura de Ratinho Jr, com quem vinha conversando atrás da unidade dos paranaenses em torno do projeto de ser presidente.

Com tranquilidade, agora, Osmar Dias pode se dedicar a costurar novas alianças, principalmente garantir no seu palanque o poderoso PMDB paranaense de Roberto Requião e os preciosos minutos na televisão.

Num primeiro momento, Osmar terá o deputado federal João Arruda (foto) na atração das oposições. Arruda, que esteve com um pé no Solidariedade, recuou para assegurar o PMDB estadual sob o controle do grupo, com a garantia da cúpula nacional.

Faça um Comentário