Cícero Cattani
31 jul 2018

Os movimentos que definiram (ou quase) o quadro eleitoral

Segunda-feira agitada. O que aconteceu nas últimas horas que antecederam a decisão de Osmar Dias de concorrer sem o apoio de MDB. O candidato do PDT chegou a ameaçar Ricardo Barros de desistir de concorrer, abrindo caminho para a vitória de Ratinho Júnior já no primeiro turno. Barros liberou o PSB para ir de Osmar.

Resumo da ópera: Ricardo Barros e Cida não querem o Beto Richa e Osmar Dias não quer o Requião, mas engole Beto Richa.  E João Arruda  (foto) sai candidato pelo MDB.

Ricardo avisou o PSB que se fizessem a convenção e homologassem o nome do Beto para o senado a chapa ia esquentar. PSB fez a convenção, não confirmaram o nome do Beto para o Senado, mas também não homologaram o nome de Cida para o Governo. Os dois estiveram na convenção, tiraram fotos juntos e anunciaram que receberam o apoio do PSB.

Osmar pediu para membros do seu conselho político procurarem o PSB, Ricardo Barros e o João Arruda. Com o PSB, seus interlocutores afirmaram que não fecham com o Requião e querem uma aliança. A conversa com o Ricardo Barros foi em tom de ameaça, e afirmaram que se o Ricardo Barros não liberar o PSB, Osmar não será candidato e Ratinho ganha a eleição no primeiro turno.

Já com João Arruda, a proposta de um acordo branco no primeiro turno. PSB aceitou a proposta do Osmar desde que o Beto seja candidato ao Senado e o Ricardo avalize a proposta. Ricardo enrolou a turma do Osmar, e jogou a conversa pra frente.

João Arruda não topou, mantém a candidatura, e conversou com Ricardo Barros no escritório do Francischini. Francischini vazou a informação de que Arruda reafirmou que será candidato a Governador.

Comentários

  • dirce | 31 jul 2018

    Tudo boa gente, mas tudo…
    Coitado de nós paranaenses, estamos ferrados!

Faça um Comentário