Cícero Cattani
05 nov 2017

O que diferencia Beto Richa de Ney Braga

O cada vez mais lido blog do Celso Nascimento (Contratempo) compara estilos de governar do ex-governador Ney Braga com o do atual: “Era um ritmo fatigante, porque ele era o primeiro a chegar ao Palácio e o último a sair. Uma atividade intensa, conhecendo profundamente cada setor da atividade governamental. Tinha controle dos seus auxiliares, através até de um aparelho com o qual fazia reuniões de secretariado, ligando diretamente aos secretários do estado“, apoiado  em depoimento do falecido Norton Macedo, um dos mais próximos assessores de Ney e também figura notável.

São de fato incomparáveis.

Beto não chega cedo ao local de trabalho e não é o último a sair. Quando vai. Não telefona para os auxiliares, usa o whatsapp, para casos em que tenha interesse, pois teme possíveis gravações indesejáveis dos federais, principalmente nestes tempos bicudos, de ações correndo no STJ por conta de denúncias de corrupção (Não se tem notícias de coisa parecida no período do Ney).

Não tem controle sobre o que fazem seus secretários e os empoleirados em cargos de primeiro escalão. Indagado sobre qualquer denúncia de irregularidade na gestão de cada um, tem sempre  a mesma resposta na ponta língua: Não conheço, não trabalha lá, não sabia etc e tal. Nega sempre seu envolvimento  e é rápido em jogar a culpa em algum auxiliar, mesmo que seja parente ou companheiro das antigas. (Vide caso das propinas da Odebrecht

O primeiro da lista mais recente foi o fotógrafo Marcello Caramori, o Tchello, aquele que exibia orgulhoso a tatuagem “100% Beto Richa”, demitido sumariamente por estar envolvido em escândalos sexuais que poderiam respingar na imagem do governador.

Em seguida – um caso puxa outro – o mais íntimo dos próximos de Richa desde tempos idos, Luiz Abi Antoun, passou à condição de “primo distante” depois da abertura das investigações – Operações Voldemort, Publicano, Quadro Negro – que envolveram diretamente o governador por recebimento de propinas para campanha de reeleição.

A lista do que diferencia um do outro é longa.

Tudo que o Paraná moderno tem, deve-se em muito a Ney Braga. Qual será o legado de Beto Richa?

E

Comentários

  • SYLVIO SEBASTIANI | 06 nov 2017

    Para começar, o pai do Beto, José Richa foi Oficial de Gabinete do Governador Ney Braga em 1962 e Chefe de Gabinete de Affonso Camargo, Secretário de Interior e Justiça, ano que foi eleito deputado federal.Em 1966, no período ditatorial,com dois Partidos Políticos, Arena da Ditadura e MDB de oposição.Ney Braga foi eleito Senador da Arena e José Richa deputado sem Partido,somente poderia entrar no MDB, Arena era comandada pelo então Governador Paulo Pimentel. Os deputados federais, NÃO queriam o José Richa no MDB, era mais um.Eu era Secretário Geral do MDB e Miguel Buffara era Presidente do MDB do Paraná, meu amigo. Contra a maioria dos deputados do MDB, eu coloquei o nome de José Richa na Ata da Convenção.Agora o Beto não tem nada do pai, José Richa e muito menos de Ney Braga.

  • Janaina | 07 nov 2017

    Nossa cattani ..você deve ser parente de 1 grau do ex ze ruela do cattani que era secretário metido de comunicação do Beto Richa …esta matéria é muito tosca vc falando de pessoas que nada haver com este governadorzinho xarope ….faz um favor apaga esta matéria e esquece estes primos distantes já que o dono da mala tá aí querendo ser senador ..não de ibope para este Beto

Faça um Comentário