Cícero Cattani
08 ago 2017

O que Richa e Gleisi têm em comum: Odebrecht

O que Beto Richa e Gleisi Hoffmann  têm em comum no caso Odebrecht: ambos beberam da mesma fonte. Em nota divulgada nesta segunda-feira (7), a PF informou que a senadora recebeu propina da Odebrecht disfarçada de doação eleitoral em 2014

Há elementos suficientes para apontar a materialidade e autoria dos crimes de corrupção passiva qualificada e lavagem de dinheiro praticados pela senadora, seu então chefe de gabinete, Leones Dall Agnol e seu marido, Paulo Bernardo da Silva, além dos intermediários no recebimento, Bruno Martins Gonçalves Ferreira e Oliveiros Domingos Marques Neto”, diz parte da nota.

Além desse inquérito, Gleisi já é ré no Supremo Tribunal Federal (STF) acusada de receber R$ 1 milhão de dinheiro desviado da Petrobras.

A nota do PF é reveladora de que o inquérito contra nove governadores delatados por executivos está em franco andamento.

O inquérito que envolve Beto Richa pode não chegar à mesma conclusão, mas a base das denúncias contra Gleisi partem da mesma base, a PGR. O processo contra Gleisi corre no STF, enquanto Richa é investigado pelo TSJ, que é quem julga governadores.

O ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), autorizou a abertura de inquérito contra o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), por supostos crimes citados na delação da Odebrecht. O pedido para investigar o governador foi feito pelo vice-procurador-geral da República José Bonifácio Andrada.

Fernandes encaminhou os pedidos de diligências à Polícia Federal, que agora, vai apurar o que foi solicitado pela Procuradoria-Geral da República (PGR). O ministro determinou sigilo nos autos da investigação. Og Fernandes foi sorteado relator do inquérito, que não tem conexão com Petrobras. O relator da Lava Jato no STJ é o ministro Luis Felipe Salomão.

Os delatores Benedicto Júnior, conhecido como “BJ”, e Valter Lana, ex-executivos da empreiteira, disseram aos investigadores da Lava Jato ter feito pagamentos “a pretexto de campanhas” do governador “operacionalizados por diversas pessoas”.

BJ disse que a Odebrecht financiou três campanhas de Richa com dinheiro de caixa dois e registrado pelo setor de operações estruturadas da Odebrecht, conhecido como “departamento da propina”. O tucano recebeu R$ 2,5 milhões em 2014, segundo BJ. Richa concorria à reeleição para o governo do Paraná. O codinome dos pagamentos era “Piloto”.

O valor foi “alocado” às obras da rodovia PR-323, que acabou não indo adiante, disse o delator. Segundo ele, se o projeto tivesse sido desenvolvido, “esse valor seria alocado como custo dessa obra”.

BJ também afirmou que foram pagos R$ 550 mil por meio de caixa dois – sendo R$ 450 mil em 2010, quando Richa foi eleito governador, e R$ 100 mil em 2008, quando ele venceu a reeleição para a prefeitura de Curitiba. Nessas ocasiões, os pagamentos foram operacionalizados por Valter Lana e o codinome com “Brigão”, contou BJ.

Comentários

  • Lucas Hirtyz | 08 ago 2017

    O B Richa não sabia de nada. Isso foi coisa dos que cuidavam da campanha dele. Ele nem sabe o que Odebrecht. e ainda vai dizer : “não tenho compromisso com erro de ninguém. Quem errou que responda pelo erro.”
    Me engana que eu não gosto.

  • profa Eliza | 09 ago 2017

    Até onde sei a Gleisi foi candidata a senadora em 2010, como é que recebeu dinheiro pra campanha em 2014 ? Será que por ser presidente do pt, está preocupando a pf, ou é porque é uma das melhores figuras do senado, e se sobressai todo dia na midia; será que começa ja a incomodar a globo? Sou do velho MDB de gente séria como o Requião e outros, não do pmdb corrupto dos temer, jucá e outros lixos ou ainda aquele quadro péssimo do Paraná que tem stephanes,curi , matos leaõ pessuti e outros .Ja disse e repito, os únicos políticos que hoje orgulham o estado são a Gleisi e o Requião; ou acham que os bons são o sergio machado, o evandro roman, o rossoni, ou o takaiama enganador de evangélico? Em tempo , esqueci do alvaro dias que só retoca a maquiagem para posar pra globo ! Acorda Paraná, fora beto lixo !

  • Marta Nubeck | 10 ago 2017

    “profa” Eliza, a Gleisi foi candidata a governadora em 2014. Se esqueceu ou não votou nela.Acabou votando no Requião ou no Beto Richa?

Faça um Comentário