Cícero Cattani
08 ago 2018

O esperto Ademar Traiano conspira para Ratinho Júnior

Ratinho Jr   “está em campanha frenética há muito tempo. Enquanto Cida ainda nem sabia se poderia assumir o governo (o que lhe dava condições mínimas para a disputa), Ratinho já corria o interior com encontros para até duas mil pessoas. Sem escassez de dinheiro (seu pai é o multimilionário apresentador de tevê Ratinho), o candidato vai de avião a dezenas de cidades por semana”, escreveu o prestigiado Rogério Galindo, da Gazeta.

Ao afundo, um esperto Ademar Traiano, dono de uma fatia importante do PSDB e fiel escudeiro de Beto Richa, estava atento ao crescimento da candidatura do Ratinho Jr. , e às dificuldades de Cida Borghetti em decolar. Com a expertise  adquirida em seis mandatos de deputado, jogou-se corpo e alma na campanha de Ratinho Jr, o poderoso secretário do Desenvolvimento Urbano.

O que faltava de malícia política ao jovem candidato, sobrava ao seu aliado presidente da Assembleia. Aliança perfeita, pois.

Traiano passou a agir à sombra, mesmo porque estava bichado pelas denúncias de envolvimento no desvio de dinheiro destinado à construção de escolas, apurado pela Operação Quadro Negro.

Sua ação mais recente no submundo da política é tirar Alex Canziani da concorrência com o “chefe” Beto Richa na disputa pelo Senado.

Depois da missão bem sucedida que redundou na desistência de Osmar Dias ao governo, abrindo um boqueirão de vantagens a Ratinho Jr, as pegadas da velha raposa política deixam marcas bem frescas:

– Sob inspiração e influência do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), Ratinho Jr. (PSD) estaria sendo levado a firmar um “acordo branco” com Beto Richa, candidato a senador que já não encontra ambiente para se manter na chapa da governadora Cida Borghetti (PP), candidata à reeleição.

A ideia de Traiano já teria encontrado um primeiro colaborador, na pessoa do deputado Hidekazu Takayama, inicialmente tido como um dos candidatos a senador na chapa de Ratinho. O outro seria (foi) o já defenestrado deputado-delegado Fernando Francisquini (PSL, bolsonarista). – Contraponto

Traiano age por trás dos panos, enquanto os Ratinhos – pai e filho – de olhos vidrados no Iguaçu.

Faça um Comentário