Cícero Cattani
12 fev 2018

Nenhum protesto anti-Temer fez estrago igual, via Globo

(Os Divergentes)

Você vai ler nos jornais hoje que as belíssimas Império Serrano e Vila Isabel foram o diferencial da Avenida, no primeiro dia de desfiles do Grupo Especial do Rio. Mas quem saiu mesmo da curva – aliás, despencou da curva -, como mostra a tremenda repercussão nas redes sociais, foi a modesta Paraíso da Tuiuti, que passou pela avenida, na madrugada deste dia 12, com a mais contundente crítica ao governo Temer jamais vista em horário nobre, transmitida ao vivo pela TV Globo. Ovacionada na Sapucaí, fez o desfile mais politizado e crítico em muitos anos de Carnaval, remetendo aos tempos do carnavalesco Joãozinho Trinta, que em 1989, era Collor, levou para a avenida o enredo “Ratos e Urubus, Larguem a Minha Fantasia”. Nenhum protesto anti-Temer fez estrago igual, com tamanha audiência.

Dessa vez, usando como enredo “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, a escola do carnavalesco Jack Vasconcelos trouxe críticas à reforma trabalhista, bandeira número um do governo, com uma ala de carteiras de trabalho sujas, vistas como as novas cartas de alforria, retratando a forma mercantilista das relações de trabalho. A ala “guerreiros da CLT” representava os trabalhadores que, com múltiplos braços, estão tentando se proteger dos ataques à legislação trabalhista. No último carro, para não deixar dúvidas, um “presidente vampiro”, interpretado pelo professor de história Léo Morais. Chifres, faixa presidencial purpurinada, gola alta feita de maços de dinheiro, e um rosto nitidamente familiar. Temer, claro.

Comentários

  • Israel conrado | 12 fev 2018

    Muito bem caracterizado só que aqui não é a moradia dele é Deus já já vai manda-lo para o habitat dele que é o inferno.

Faça um Comentário