Cícero Cattani
07 abr 2019

Mais da metade dos eleitores de regiões que catapultaram Bolsonaro está frustrada, mostra Datafolha


O Sul que lhe proporcionou a maior votação, a descrença com  o governo Bolsonaro  ainda é maior. –


Por Daniela Lima, Painel/Folha –

Era vidro e se quebrou A comparação dos dados da nova pesquisaDatafolha com os resultados obtidos por Jair Bolsonaro na eleição oferece termômetro expressivo da queima de capital político nos três primeiros meses de governo. Na região Sul, onde o presidente alcançou seu maior índice de votação, 68%, apenas 39% classificam seu governo como ótimo ou bom —e 54% dizem que ele fez menos do que o esperado. No Sudeste, onde conquistou 65,4% dos votos válidos, o percentual de frustrados chega a 59%.

O que nunca se teve Só o Nordeste ultrapassa o Sudeste no índice de eleitores que dizem que Bolsonaro fez menos do que eles esperavam no primeiro trimestre: 68%. Mas, na região, Fernando Haddad (PT) bateu quase 70% dos votos válidos.

Meio a meio Os eleitores que ganham mais de cinco salários mínimos são os que mais aprovam a administração de Bolsonaro, com índices que vão de 41% a 43% —o que estatisticamente representa quase um empate entre estes e os que não aprovam o governo.

Torcida organizada Para Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha, isso ajuda a explicar o embate nas redes sociais. “Esse é o grupo de eleitores que tem mais acesso à internet e aos temas que estão em debate”, afirma.

Dos males o menor? Detalhamento da pesquisa mostra que, entre os que admitem ter votado em Haddad, a avaliação do vice, Hamilton Mourão, é melhor que a de Bolsonaro. Nesse grupo, o presidente é apontado como ótimo e bom por 7%, como regular por 28% e como péssimo por 63%. O general alcança 15%, 36% e 33% respectivamente.

Faça um Comentário