Cícero Cattani
21 mar 2019

Justiça nega pedido para soltar Richa

Por G1 PR — Curitiba

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) negou nesta quinta-feira (21) o pedido de liberdade feito pela da defesa do ex-governador Beto Richa (PSDB).

Richa foi preso na terça-feira (19) no âmbito da Operação Quadro Negro, do Ministério Público do Paraná (MP-PR). A operação investiga desvios de mais de R$ 20 milhões de obras de construção e reformas de escolas públicas do Paraná.

Na decisão, o juiz substituto de 2º grau Mauro Bley Pereira Junior afirma que a prisão preventiva realizada na terça-feira “está devidamente fundamentada e atende às peculiaridades do caso, não cabendo, por ora, sua modificação, tendo em vista que o impetrante não trouxe qualquer alteração da situação fática ou elemento novo capaz de deferir a liminar pleiteada”

O pedido da defesa de Beto Richa, feito na quarta-feira (20), pedia que a prisão preventiva fosse substituída por medidas “menos gravosas”.

Segundo os advogados, o pedido de prisão remonta a fatos supostamente ocorridos de 2012 a 2015 e que não “trouxe qualquer motivação ou fundamentação concreta apta a justificar referida medida extrema”.

Ao indeferir a liminar, Mauro Bley Pereira Junior abre um prazo de cinco dias para que o juiz Fernando Bardelli Silva Fischer, da 9ª Vara Criminal de Curitiba, que determinou a prisão de Richa, se pronuncie sobre a decisão.

Faça um Comentário