Cícero Cattani
17 jul 2017

Greca x Ducci. Cheiro de lixo exala dos porões do poder

A relação Rafael Greca e Luciano Ducci fede mais que o próprio  lixo que seria a causa de atrito entre o prefeito e o apoiador decisivo da sua candidatura. Coisa do  tipo disputa de mando entre o criador e a criatura. Aliás, fato recorrente nesse meio fétido da poltica e  que exala pelos boeiros dos porões do poder. Ainda mais quando há dinheiro – muito dinheiro – em causa.

Leiam só o que escreve Celso Nascimento:

Além da secretaria municipal da Saúde, a disputa Ducci X Greca pega fogo também na secretaria do Meio Ambiente, onde o secretário Sergio Tocchio é Greca e a superintendente Marilza Dias é Ducci. O feudo é a licitação do lixo. Marilza Dias foi a presidente da licitação fracassada do Sipar nas gestões de Beto Richa/Luciano Ducci. O projeto pretendia industrializar o lixo de toda a região metropolitana. Quando Gustavo Fruet assumiu, encontrou uma dívida de R$ 80 milhões com a Cavo, empresa que presta serviço de coleta de lixo em Curitiba. Agora, na gestão Greca, Tochio e Marilza rejeitaram uma PPP uma  PPP planejada por técnicos do Banco Mundial. A bola está dividida, mas há filé sob a responsabilidade de Marilza: uma nova licitação do lixo.

O primeiro embate visível entre os dois aliados se deu na Saúde: o médico João Carlos Baracho, do primeiro time de Rafael Greca, não aguentou ficar 180 dias como titular da secretaria. Afastou-se alegando problemas de hipertensão e foi substituído pela enfermeira Márcia Huçulak, fiel duccista.

Comentários

  • Bernardo Bentesi | 18 jul 2017

    Esse Luciano Ducci ficou dois anos no poder da Prefeitura e quebrou as finanças e depois quis ficar mais quatro anos e o povo disse NÃO. Agora quer voltar fazer seus rolos com seu amiguinho Greca.

Faça um Comentário