Cícero Cattani
21 ago 2017

Escândalo de Paranaguá repete o método na RM (II)

Por Ruth Bolognese

– O papel do incorporador Jorge Atherino no governo Beto Richa se aprofunda a cada nova busca de informações. Por exemplo: um dos empreendimentos imobiliários com a inicial Green na Região Metropolitana de Curitiba, o maior deles, com 1 mil e 800 lotes, o Green Silver, se situa exatamente na margem por onde passa o novo asfalto que liga São José dos Pinhais a Fazenda Rio Grande e cuja obra foi autorizada pelo governador Beto Richa em março desse ano. O Green Silver tem como sócia a família Sanson, dona dos hotéis Caravelle, Curitiba Palace Hotel e Palace Hotel Slim.

O inquérito do Ministério Público que apura irregularidades, tráfico de influência e vantagens indevidas do governador Beto Richa e sua família no Eixo Modal de Paranaguá já está no Superior Tribunal de Justiça (STJ), instância para ocupantes de cargos com prerrogativa de foro. O governador foi incisivo quando chamou de “ilações insanas” as citações do nome dele e de sua família no processo, mesmo diante do fato que a BFMAR (iniciais de Beto, Fernanda, Marcelo, André e Rodrigo) ser sócia do grupo Green, que pertence ao incorporador Jorge Atherino.

Mas o governador, e nem a primeira dama, Fernanda Richa e os filhos, ninguém explicou o que significa essa sociedade, quando foi feita etc. etc. Com o mesmo padrão estabelecido na Região Metropolitana – o governador determina a realização de uma obra e o nome do empresário Jorge Atherino aparece logo em seguida com um grande empreendimento – é mais urgente do que nunca o governo esclarecer todas as dúvidas.

E a título de lembrança, quando saiu do governo, o pai do Beto, o governador José Richa tinha um sonho de comprar uma casa na praia, onde queria descansar com dona Arlete e pescar. E um dia, conversando com o jornalista Hélio Teixieira, disse que já tinha encontrado: era um sobradinho em Praia de Leste, no valor de hoje em torno de R$ 60 mil, que ele ia financiar pelo crédito imobiliário.


Lembrete à Ruth Bolognese: Jorge Atherino foi apontado por dois ex-executivos da Odebrecht como recebedor das propinas da Odebrecht às campanhas de Beto Richa. Edison Fachin mandou para o STJ apurar. A Polícia Federal investiga.

Comentários

  • Marcos Formighieri | 23 ago 2017

    Acho que o Beto Richa é mais uma das vitimas do Aterino, que nos ultimos governos fêz plantão no Iguaçu e nas residencias dos governadores. Isto pode ser contestado, mas mantenho minha opinião, por conhecer a forme de agir do”Grego”.Alias, uma séria investigação no I.A.P., vai encontrar “Green”para todo lado.

  • Sirley machado | 24 ago 2017

    Beto vítima!!! Desde quando..

Faça um Comentário