Cícero Cattani
12 abr 2017

Entre os paranaenses, a surpresa foi os R$ 500 mil a Osmar

Enquanto Roberto Requião gaba-de ter escapado ileso do tiroteio da Odebrecht, o mesmo não acontece com Osmar Dias, que teria sido vítima de uma bala perdida – de raspão, acredita-se. Quem parece estar aliviado é o clã Barros: por incrível, nem Ricardo nem Cida  aparecem na lista dos deputados federais do PP. Pelo menos, por ora. Já Beto Richa era mais que esperado. Gleisi e marido eram nomes também pevisíveis.

Surpresa foi Osmar Dias, favorito na corrida pelo Iguaçu, em 2018. Ele é citado de ter recebido  R$ 500 mil, que tento pode ter sido via partido ou por fora. O dinheiro foi negociado por Carlos Lupi, presidente do PDT. Segundo delação do executivo da Odebrecht Fernando Luiz Ayres, a propina foi “para assegurar apoio político do partido” à chapa Dilma-Temer.Com o fim do sigilo decretado por Edison Fachin, logo se saberá se a bala não atingiu algum órgão vital às pretensões de Osmar ao governo.

Se o STF aceitar o pedido de investigação,  Osmar pode cair nas mãos de Sergio Moro.

Faça um Comentário