Cícero Cattani
13 mar 2018

Eleição. Nenhum teve origem humilde, todos creem em Deus

Pesquisa Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada nesta terça-feira, aponta que 58% dos entrevistados discordam que o seu voto para deputados e senadores serão para candidatos do mesmo partido do voto para presidente, e por extensão, para governador. No levantamento, 72% afirmaram que votam nos candidatos independentemente do partido.

Alvaro Dias será o presidenciável – segundo pesquisas – mais votado pelos paranaenses, não seria lícito dizer que Osmar Dias é o preferido também dos eleitores do candidato do Podemos. Nem Beto Richa seria beneficiado por Geraldo Alckmin.

A Pesquisa Ibope  aponta que 79% dos brasileiros concordam totalmente ou em parte que é importante que o candidato a presidente acredite em Deus. No entanto, somente 29% das pessoas disseram que é muito importante que o candidato seja da mesma religião que elas.

Todos, em todos os níveis de disputa, se dizem tementes a Deus.

De acordo com a pesquisa, 44% dos brasileiros estão pessimistas em relação à eleição presidencial de 2018 e 20% estão otimistas. Entre os motivos para o pessimismo, os entrevistados citaram a corrupção (30%), falta de confiança nos governantes (19%) e falta de opção dos candidatos (16%).

Neste quesito, Richa seria o mais prejudicado.

Já entre os que se disseram otimistas, o principal motivo apontado foi a possibilidade de mudança e renovação (32%), seguido da esperança no voto ou na participação popular (19%) e o sentimento de melhorias em geral (11%).

Todos se dizem “o novo” e pregam mudança e renovação.

A pesquisa revela que 52% dos brasileiros concordam que preferem candidatos de família pobre. Para 8% é indiferente e 38% discordam em parte ou totalmente.

Os nomes conhecidos para as eleições majoritárias no Paraná não vieram de camadas mais pobres da população.

O levantamento também questionou qual deve ser o foco do próximo presidente e que características pessoais e profissionais o mandatário deve ter. Para a 92% da população, o controle de gastos públicos deve estar na pauta dos candidatos às eleições de 2018.

Está no discurso dos candidatos ao governo do Estado.

A maioria dos brasileiros não acredita em promessas de campanha. Questionados, 75% discordaram totalmente ou em parte da frase “eu acredito nas promessas de campanha dos candidatos”.

O Osmar Dias diz sempre que não faz promessas, mas assume compromissos.

O levantamento “Retratos da Sociedade Brasileira – Perspectivas para as eleições de 2018”, entrevistou 2 mil pessoas de 127 municípios entre 7 e 10 de dezembro de 2017.

Faça um Comentário