Cícero Cattani
07 dez 2017

Eleição 2018. O quadro não está fechado nem há favorito

Um coisa tida com certa entre analistas e jornalistas experimentados ouvidos pelo blog, diante das dúvidas que não são poucas no atual cenário político paranaense, é a dupla Roberto Requião e Beto Richa no Senado. Quanto ao governo, ainda há os que acreditam em um nome que está por vir, que tanto pode ser um empresário bem sucedido como um jovem administrador do interior.

O empresário mais cogitado é Edson Campagnolo,  presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná. Foi eleito em 2011 para comandar a entidade, tendo sido reeleito em 2015 para mais um mandato de quatro anos. Faz parte do grupo de empresários que se adonou do PRB e postergou para abril qualquer decisão sobre a sucessão estadual.

O prefeito de Guarapuava Cesar Augusto Carollo Silvestri Filho  é visto com um bom nome. Jovem administrador bem sucedido – foi reeleito  – Cesar Silvestri Filho é a posta do PPS do deputado Rubens Bueno.

Poucos são os que acreditam na candidatura de Cida Borghetti. Não há unanimidade em torno de Ratinho Júnior e Osmar Dias, como possíveis vitoriosos.

É esperar por abril, como sugerem os pragmáticos donos do PRB. Pesquisas pra valer, só depois desse mês.

Comentários

  • Pandora | 08 dez 2017

    Gostaria da volta de Requião, para ve-lo colocar um ponto final nas mordomias do JUDICIÁRIO paranaense.

  • Rock | 10 dez 2017

    Sou mais Requião o resto não tem pulso e determinação para colocar esse estado no lugar que merece no cenário nacional.

Faça um Comentário