Cícero Cattani
02 set 2018

Dizer que Ratinho ajudou quebrar o Paraná não é crime

Por Roseli Abrão, blog –

É uma “mera crítica política”, segundo a juíza Graciane Lemos, do TRE, ao negar  pedido de resposta feita pelo candidato do PSD, Ratinho Júnior, que se sentiu ofendido com a declaração do candidato do MDB, João Arruda, que no primeiro programa eleitoral disse que ele, Cida Borghetti e Beto Richa “quebraram o Estado”.

— Em que pese o dispositivo faça referência aos ataques por conceito e à imagem que ataquem candidatos de forma indireta, não identifico, prima facie, que as afirmações impugnadas e veiculadas no programa do candidato ora representado justifiquem a concessão do direito de resposta, afirmou a juíza.

Em seu despacho, a juíza acrescentou que “a afirmação feita durante propaganda eleitoral gratuita, ainda que com maior ênfase no tocante ao período de comparação entre governos, atribuindo a candidato responsabilidade pelo reajuste de tarifa de energia, consubstancia mera crítica política”

Para a juíza, nem mesmo a afirmação de que “quebraram o Estado” justifica o direito de resposta, “pois não desborda dos limites da crítica feita pelo candidato representado pela atuação e vinculação com governo anterior

— Por isso, entendo que não há plausibilidade jurídica do pedido a justificar a concessão da liminar, não havendo razão para que se proíba a veiculação do programa veiculado pelos representados, afirmou.

Ainda hoje deve sair a decisão sobre as ações protocoladas por Beto Richa e Cida Borghetti.

Faça um Comentário