Cícero Cattani
05 jun 2018

WhatsApp. De Be para Fe: trair é o que BR sabe fazer

Documentos anexados à proposta de colaboração premiada apresentada  por Maurício Fanini, revelam o grau de proximidade entre a ex-primeira dama, Fernanda Richa, e a mulher dele, Betina. Entre os anexos da proposta de delação, estão cópias de conversas por meio do WhatsApp e o relato de encontros pessoais, em que Fernanda teria chegado a pedir dinheiro e a agradecer pela liberação de R$ 500 mil para a compra de um apartamento para o filho – que teria sido bancado com dinheiro de propina. Informações da Gazeta. Foto que Fanini guardou de um tur com o casal Richa.

Em julho de 2015, três dias depois de Fanini ter sido preso pela primeira vez, então sob suspeita de ser operador dos desvios, Fernanda Richa trocou mensagens via WhatsApp com Betina, tentando tranquilizá-la. A então primeira-dama pede que Betina “não fique brava” e que mantenha “a calma e a serenidade”.

“Be, bom dia, não fique brava comigo ou c o Beto, amamos vcs, vcs são e serão sempre nossos amigos! ! Estamos acompanhando e fazendo do o possível!!! Te peço para ter calma, serenidade e confiança nas atitudes dele próprio, pois é o único que pode desmoralizar ou desmentir tudo que foi dito ou posto”, diz a mensagem.

Betina responde que “está muito difícil!!!!”, ao que Fernanda destaca que é preciso “suportar”. “Eu sei minha amiga, temos que suportar!!! Temos que, com serenidade, aguardar”, sugere a ex-primeira dama do Paraná.

No fim do ano seguinte – em 27 de dezembro –, Betina faz um desabafo a Fernanda Richa, também pelo WhatsApp. Na ocasião, Maurício Fanini já havia se tornado réu na Quadro Negro. Betina reclama de dificuldades financeiras, afirma que ela e sua família estavam, então, “destruídos” e sugere que foram abandonados pelo casal Richa.

“Depois de 17 meses de execração nas mídias sociais e imprensa, uma prisão temporária e um processo criminal a ser respondido, o que sobrou ao Maurício? Nada, apenas abandono, humilhações e como consequência de tudo isso nenhuma perspectiva profissional….”, escreveu Betina.

Continuando a minha reflexão, qual a conclusão que eu chego??? Que isso tudo foi o que recebemos em troca de uma amizade verdadeira, amizade de todas as horas, de cumplicidade e lealdade…. O que concluo de tudo isso? Que o BR [Beto Richa] deveria mudar suas iniciais para PP [possivelmente uma referência a Pôncio Pilatos], afinal, é a única coisa que ele sabe fazer…. ‘lavar as mãos’….”, acrescentou a esposa de Fanini.

Em outro anexo da delação, Fanini disse que, em março de 2013, Fernanda agradeceu por um apartamento comprado ao filho dela, Marcello Richa, com dinheiro supostamente de propina. “Uma semana depois, a primeira dama Fernanda Bernardi Vieira Richa, em um encontro social com a esposa do declarante, Betina, disse a esta que estava muito feliz com a compra do apartamento, porque Marcello casaria no mês de outubro do mesmo ano”, consta do documento, em que Fanini acrescenta que o apartamento comprado fica ao lado da residência do casal Richa.

Ainda segundo a proposta de delação, Fanini teve que levantar R$ 500 mil para a compra do apartamento. O dinheiro teria sido solicitado por Luiz Abi Antoum, primo de Richa, que afirmou que falava em nome do governador.

O ex-diretor da Seed relata que consultou Richa, que teria respondido: “Sim, pode entregar, porque ele e o Ezequias [Moreira] são os mais confiáveis”.

Em outro trecho, Fanini disse que ele e a esposa foram à residência do casal Richa, para assistir ao jogo entre Brasil e Chile, na Copa do Mundo – em 28 de junho de 2014. Depois da partida, o ex-diretor relatou que Fernanda chamou o filho, André, e a nora, que viajariam a Machu Picchu, no Peru, no dia seguinte. A primeira-dama teria pedido “mil doletas” (US$ 1 mil) para ajudar o casal a pagar seus gastos no país vizinho. Segundo o delator, ele dispunha do dinheiro – que estava escondido em um armário – e atendeu ao pedido de Fernanda.

Comentários

  • penitenciario | 06 jun 2018

    Comentar o que , só que o ratinho tambem é da quadrilha !

  • Ricardo | 06 jun 2018

    Beto tem assessores como Fanini, e sabe qto paga de salário é não estranha as viagens os gastos e o padrão de vida kkkkk então o ex governador é cego . E agora vem a delação do ex diretor do DER kkkk. Obs: todos amigos de faculdade e de prefeitura

Faça um Comentário