Cícero Cattani
03 ago 2017

Condenados da 1ª fase da Operação Publicano no TJ-PR

<<<Existe denúncia que parte das propinas ia para campanha de reeleição de Beto Richa. / 

G1/RPC Londrina

Os condenados na primeira sentença da Operação Publicano, que investiga um esquema de corrupção na Receita Estadual do Paraná, encaminharam recursos para o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), em Curitiba.

Dos 42 réus, apenas um deles desistiu de recorrer e aceitou a punição imposta pelo juiz Juliano Nanúncio, da 3ª Vara Criminal de Londrina.

O contador Hederson Bueno será o primeiro réu da operação publicano a cumprir pena após sentença.

Ele foi condenado a dois anos e seis meses de prisão e ao pagamento de uma multa.
A pena poderá ser cumprida em liberdade, com a prestação de serviços à comunidade, por ser inferir a quatro anos.

Segundo a defesa de Bueno, ele decidiu não recorrer da condenação pela possibilidade de cumprir a pena em liberdade. Além disso, ele não teria dinheiro para sustentar um recurso na Justiça,
No fim da tarde de quarta-feira (2), a 3ª Vara Criminal de Londrina, expediu um mandado para que a Vara de Execuções penais cumpra a sentença contra o contador.

O TJ-PR não tem prazo para analisar os recursos dos condenados que recorreram da sentença.
As investigações

A Operação Publicano foi deflagrada em março de 2015 e, desde então, foram feitas dezenas de prisões, depoimentos e acordos de delação premiada. As investigações sobre o caso começaram ainda em 2014.

De acordo com o Ministério Público do Paraná (MP-PR), uma organização criminosa atuava na Receita Estadual em Londrina cobrando propina de empresários em troca de benefícios fiscais. Conforme a denúncia, auditores fiscais faziam vistas grossas para aliviar multas e irregularidades.
Mais de 300 pessoas já foram denunciadas ao longo da operação: entre elas estão auditores fiscais, empresários, contadores, pessoas consideradas “laranjas” no esquema e um policial civil.

Existe a suspeita de que dinheiro desviado da Receita era destinado à campanha do governador Beto Richa (PSDB).

Faça um Comentário