Cícero Cattani
29 out 2015

Caminhoneiros prometem parar o país

Bem Paraná:

Novembro promete ser um mês de manifestações nas rodovias brasileiras. Pelo WhatsApp, está sendo veiculada uma mensagem chamando os caminhoneiros não filiados aos sindicatos a paralisar as atividades a partir do dia 1º de novembro, “até o governo cair”. A mensagem convocando os caminhoneiros a parar é encontrada também na página Caminhoneiros, Salvem o Brasil Foro do Brasil – no Facebook – liderada pelos caminhoneiros Carlos Sales e Wanderlei Dedeco.

Além deles, o Comando Nacional do Transporte, que se declara independente de sindicatos, já informou que fará um protesto no dia 9 de novembro. Os trabalhadores informam no comunicado que a manifestação tem apoio do Movimento Brasil Livre e do Vem Pra Rua.

Em nota, o líder do Comando, Ivar Luiz Schmidt, informou que a decisão se ampara principalmente no fato de que o governo não atendeu reivindicações fáceis de serem atendidas como, por exemplo, a anulação das multas referentes à manifestação passada.

O grupo mantém a mesma pauta de reivindicação de março, quando a maioria das rodovias do país tiveram o fluxo interrompido por bloqueios de caminhoneiros.

Entre as demandas do segmento, estão a redução do preço do óleo diesel, criação do frete mínimo e anulação das multas por causa das manifestações anteriores. Eles também pedem liberação de crédito com juros subsidiados no valor de R$ 50 mil para transportadores autônomos, aposentadoria com 25 anos de contribuição e salário unificado em todo território nacional. “Somos a única categoria nesse país que trabalha, hoje, pelo mesmo valor há 10 anos”, disse Schmidt.

Alguns supermercadistas temem o desasbastecimento mais rápido que em março deste ano, quando os caminhoneiros pararam. Tudo porque segundo a própria Abras, que representa a categoria, por causa da crise, os supermercadistas estão comprando 30% a menos, ou seja estoques bem menores que em março.

Faça um Comentário