Cícero Cattani
25 fev 2018

Pedágio. Beto Richa no topo do pódio olímpico de pé frio

Ser medalhado como  governador olímpico por escapar de ser citado nominalmente pelos procuradores federais da  primeira fase da Operação Integração,  pode confirmar-se em  uma estratégia errada de comunicação (ou do mais puro puxa-saquismo): ainda em tempo de olimpíada de inverno que chega ao seu final, Beto Richa pode, sim, ser chamado ao topo do pódio para receber a medalha de ouro da categoria tremendo pé frio. Ou campeão de saltos dissimulados ou de  qualquer prova ligada à tempestade de neve que se abateu sobre o Iguaçu.

Esfriando de vez o ânimo  dos áulicos que contavam com ele disputado o Senado, e de outros,  na torcida pela permanência. E continuar a mamata.

O MPF promete não descansar enquanto não elucidar de vez o preço extorsivo  do pedágio praticados por cinco concessionárias do chamado Anel de Integração. “O usuário final acabou sendo prejudicado por uma tarifa alta, que era desviada para outro propósito que não o interesse público”, afirmou procurador do MPF, Diogo Castor de Mattos.

“Nós vamos investigar profundamente as relações do pedágio com o poder público paranaense, em um primeiro momento, federal também. Se chegarmos a pessoa do partido, do PSDB ou qualquer partido, vamos analisar igualmente”, garante o procurador Santos Lima.

Jogar a culpa em cima do Leal Jr. só pode levá-lo à delação. Não vai suportar sozinho tamanha carga.  Até quinta, será possível avaliar até  onde vai a lealdade do companheiro desde os tempos da prefeitura. Também há o risco de a prisão temporária  transformar-se em preventiva. Daí, o despencar da pista de esqui será um espetáculo para ser visto na Globo.

Nada de pódio olímpico, pois.

Comentários

  • marco | 25 fev 2018

    Cícero, o cara deve ter o corpo fechado, não é possível, tudo ao seu lado desmorona e sempre consegue se desvencilhar, é coisa do outro mundo, até quando vai durar não sei.

Faça um Comentário