Cícero Cattani
23 maio 2018

Alckmin quer Cida, que também não quer Richa como aliado

– Geraldo Alckmin  subiu o tom na crítica a correligionários encrencados com a Justiça, em busca de se livrar do desgaste que o partido imprime à sua candidatura. “Beto Richa deve se explicar”. Está na Folha.

– Cida Borgheti afirma que não vai albergar ninguém que seja denunciado ou investigado em processo por improbidade. Está no blog do Campana: Richa e Cida Borghetti já não se entendem.

E cresce dentro do tucanato paranaense o movimento para aproximar o presidenciável Geraldo Alckmin de Cida Borghetti. Eles têm em comum: a baixa intenção de votos em todas as pesquisas.

Nessa aliança já tida como certa por alguns tucanos ilustres, Alckmin entraria com o tempo de televisão do PSDB e Cida garantiria palanque eleitoral no Estado que o tucano paulista não tem.

O ex-governador e presidente nacional do PSDB já avisou aos diretórios regionais que a definição de apoio a candidato do partido ou de fora dele  às majoritárias passa necessariamente pelo crivo da Executiva nacional

Portanto, a delegação dada pelos tucanos paranaenses a Beto Richa, presidente do partido daqui, para definir  quem apoiar  ao governo, não vale nada.

Se Richa não se enquadrar à realidade, vai encontrar dificuldade para se eleger senador. Isto, na avaliação de antigos aliados.

O que pesa mais para os tucanos aflitos: Entre a capacidade de Richa fragilizado pelas denúncias como articulador politico e  à de Ricardo Barros, com o pote na mão,  este ganha de longe, na aposta deles.

Comentários

  • marco Prof. | 24 maio 2018

    beto richa merece o ostracismo político pelo pior Governo do Paraná . Ninguém quer a companhia do menino, coitado foi abandonado pelos companheiros.

Faça um Comentário